5 maiores mitos sobre bitcoins

Por Assessoria de Imprensa

Saiba quais são as lendas que ainda pairam no imaginário popular sobre a moeda virtual mais famosa do mundo

 

Apesar da Bitcoin estar por aí há mais de sete anos, ainda há uma série de mitos sobre a tecnologia espalhados entre o público em geral e a imprensa. As bitcoins às vezes representam um tema difícil porque exigem um conhecimento básico de diferentes áreas de estudo, como criptografia, economia e ciências da computação. Descubra a seguir os cinco principais mitos sobre a moeda virtual que ainda geram discussão:

1) Bitcoin não tem lastro, então não tem valor real

Muitos que não entendem o valor de uma rede de pagamentos digital descentralizada resistente à censura acreditam que as bitcoins são essencialmente inúteis porque não têm lastro em algo material. Existem opiniões divergentes sobre esse ponto. Alguns acreditam que a escassez de bitcoins é o principal atributo que dá valor à moeda virtual, enquanto outros afirmam que elas são úteis porque utilizam o livro de registro descentralizado mais proeminente e seguro do mundo. Contudo, como todas as moedas da história do dinheiro, e assim como o ouro, as bitcoins têm valor por uma questão de consenso, porque as pessoas concordam que ela é valiosa.

2) Bitcoin é uma moeda anônima

Embora a Bitcoin seja constantemente citada como “moeda anônima da dark web”, é mais correto dizer que a Bitcoin opera por meio de pseudônimos. Isso significa que há um endereço identificável (ou vários endereços) para cada usuário na rede, mas ninguém necessariamente sabe quem está por trás de cada um deles. Com a Bitcoin, é importante lembrar que cada transação é gravada num registro completamente público que qualquer um pode visualizar os dados. Poucas empresas de análise de blockchain apareceram nos últimos anos, e elas são capazes de “desanonimizar” grandes porções da rede.

3) Bitcoin é esquema Ponzi

Bitcoin não é esquema Ponzi por três motivos. Primeiro, um esquema Ponzi exige um fundador inicial que convença investidores que eles terão algum tipo de lucro. Não há um ponto central de poder na Bitcoin, sendo um sistema descentralizado, portanto ele não promete lucro a partir da rede. Em segundo lugar, um esquema Ponzi sempre exige que novos investidores banquem investidores mais antigos. Este não é o caso da Bitcoin, já que se trata de um sistema que pode operar com praticamente qualquer número de usuários. No entanto, a rede fica mais forte e resiliente quando usada por mais pessoas. Por último, se a Bitcoin é um esquema Ponzi, então todas as outras formas de dinheiro também são inicialmente desenvolvidas como esquemas Ponzi.

4) Bitcoin é usada só para propósitos ilegítimos

Um dos valores fundamentais da Bitcoin é sua resistência à censura. O que é considerada uma transação legítima ou legal pode variar de acordo com a jurisdição, mas a Bitcoin também é usada para propósitos completamente legais. Algumas pessoas usam as bitcoins para poupar 10-20% em compras na Amazon e Starbucks por meio de aplicações como Foldapp e Purse.io. Outros vêem na moeda virtual uma ferramenta valiosa para transferir dinheiro internacionalmente.

5) Bitcoin é usada por terroristas 

Quando a Bitcoin é citada num filme ou programa de televisão, é quase sempre abordada como algum tipo de crime grave ou terrorismo. Por outro lado, não há evidência de terroristas utilizando Bitcoin em nenhuma escala considerável.  Apesar das bitcoins às vezes serem usadas para transações ilegais pela internet, a realidade é que questões de privacidade relacionadas ao blockchain público a tornam uma escolha fraca para terroristas.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *